dezembro 17, 2014

O bom filho a casa torna

Sentado no vazio do nada, tenho-me sempre em mim a quem voltar.

Até quando?

fevereiro 19, 2010

FOREVER YOUNG

Lets dance in style, lets dance for a while
Heaven can wait were only watching the skies
Hoping for the best but expecting the worst
Are you going to drop the bomb or not?

Let us die young or let us live forever
We dont have the power but we never say never
Sitting in a sandpit, life is a short trip
The musics for the sad men

Can you imagine when this race is won
Turn our golden faces into the sun
Praising our leaders were getting in tune
The musics played by the madmen

Forever young, I want to be forever young
Do you really want to live forever, forever and ever

Some are like water, some are like the heat
Some are a melody and some are the beat
Sooner or later they all will be gone
Why dont they stay young

Its so hard to get old without a cause
I dont want to perish like a fading horse
Youth is like diamonds in the sun
And dimonds are forever

So many adventures couldnt happen today
So many songs we forgot to play
So many dreams are swinging out of the blue
We let them come true


Sempre vivi no limite, sempre a pensar que ir “durar” para sempre, sempre iludido com a facilidade do êxtase da vontade única de sorrir, de passar o dia para o outro seguinte, de seguir a estrada sem pensar nas curvas… e hoje? Sinto que houve tanto que não fiz, tanto que ficou por fazer, tanto tempo perdido.

Tenho, temos, no entanto, tanto que fizemos, tantas memórias que a maioria não se pode regozijar de ter. Porque nos perdemos nas tristezas?

Sinto saudades vossas, nossas, de todos os tempos que tivemos e de tudo o que fizemos. Saudades estas que não são apenas meras nuances de pensamento, elas são a força que me tem impelido nos últimos tempos a querer ter algo, ser algo.

Quero voltar a ter os tempos de gozo, de riso, de saídas sem rumo ou curvas a direito.

Espero que com tempo, não muito, tudo volte “ao mesmo”… a tardes passadas em conjunto, a dias na praia, a noites perdidas na conversa…

Não temos como recuperar muito do que podíamos ter feito… ou que eu podia ter feito… mas vou, vamos, a tempo de fazer muito mais…

We will be, for sure, forever young.

outubro 18, 2008

Dr. House
Season 5
Episode 4

agosto 06, 2008

Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela,

Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela,
E vendo-a sempre de maneiras diferentes do que a encontro a ela.
Faço pensamentos com a recordação do que ela é quando me fala,
E em cada pensamento ela varia de acordo com a sua semelhança.
Amar é pensar.
E eu quase que me esqueço de sentir só de pensar nela.
Não sei bem o que quero, mesmo dela, e eu não penso senão nela.
Tenho uma grande distracção animada.
Quando desejo encontrá-la
Quase que prefiro não a encontrar,
Para não ter que a deixar depois.
Não sei bem o que quero, nem quero saber o que quero. Quero só Pensar nela.
Não peço nada a ninguém, nem a ela, senão pensar.


Alberto Caeiro

julho 24, 2008

Joseph Arthur - My Home Is In Your Head

You want to be free
Don't act like it's bad
I'm already dead
My home is your head

Hey You and me
Can't get what we need
Hey You and me
Can't get what we need

You're a suicide
Only out for revenge
You can't controll my mind
If I don't believe your're gonna try

Hey You and me
Can't get what we need
Hey You and me
Can't get what we need

You want to be free
Don't act like it's bad
I'm already dead
My home is your head

Hey You and me
Can't get what we need
Hey You and me
Can't get what we need

julho 09, 2008

I Will Not Be Pushed, Filed, Stamped, Numbered, Briefed, Debriefed...
My Life is My Own.

julho 08, 2008



Dá-me as tuas lágrimas,
Eu choro-as por ti.

Come like the dusk
Like a rose on the grave of love
You are my lust
Like a rose on the grave of love

I curse the day I first saw you
Like a rose that is born to bloom
Don't look at me the way you do
Like the roses, they fear the gloom

Your thorns, they kissed my blood

Your beauty heals, your beauty kills
And who would know better than I do?
Pretend you love me!

Come like the dusk
Like a rose on the grave of love
You are my lust
Like a rose on the grave of love

Indeed, reality seems far

When a rose is in love with you
Slaves of our hearts, that's what we are
We loved and died where roses grew

They watched us silently

A rose is free, a rose is wild
And who would know better than I do?
Roses are not made for love.

julho 01, 2008

a eterna insatisfação



como será que se sente uma folha, envolta em marés vivas?
Quando se habitua ao bater das ondas numa determinada direcção, surge um vento forte, uma vaga, um mudar de direcção, e tudo se transforma de novo, tudo se inverte.
como será que se sente um barco pesqueiro no mar alto do Norte?
Poderoso, imponente, toneladas de ferro, bruto e no entanto, a àgua, leve, transponível, gela-lhe o casco e levanta-o no ar como uma folha de Outono é levada por uma leve brisa.


Como me sinto eu, quando uma leve brisa dói como o rebentar das marés vivas?


Preciso de bom porto, recuperar das gélidas vagas, voltar a ter o fulgor de embarcação capaz de enfrentar as estrelas.


janeiro 06, 2008

A seta apaixonou-se pelo vento
quis deixar-se levar pela sua força.
Voamos os dois na mesma direcção
mas o vento só vai para onde lhe apetece.

A seta apaixonou-se pelo vento
quis deixar-se levar pelo seu talento.
E entramos os dois numa combinação
que tendia para o infinito inequivocamente.

Amanha não vais ter tanto encanto
Amanha não vais ter tanto encanto
Amanha não vais ter tanto encanto
Amanha não vais ter tanto encanto
Não vais ter...
Não vais ter...
...tanto encanto.

E o vento apaixonou-se pela seta
quis deixar-se acompanhar pela coisa concreta,
surgia como justificação,
para a materialidade de um traço no céu

E o vento apaixonou-se pela seta,
quis fazer com ela a volta completa.
Mas a seta estava farta de dispersão,
voou para Barcelona e deixou solidão.

Amanha não vais ter tanto encanto
Amanha não vais ter tanto encanto
Amanha não vais ter tanto encanto
Amanha não vais ter tanto encanto
Não vais ter...
Não vais ter...
...tanto encanto.
...tanto encanto.

----

e eu... serei seta ou vento?

janeiro 04, 2008

Será possível gostar tanto de alguém que deixamos de ser nós mesmos?
Um dia disseram-me que havia muitos tipos de amor, que existiam muitas formas de amar e que eu iria ser feliz. Mas eu não sei lidar com os sentimentos, não me sei barrar a eles. Sou assim, impulsivo e vivo sempre no extremo do que posso ter.
Quando voltei a gostar, todo o meu corpo, habituado ao recentemente adquirido controlo das emoções, se ressentiu. Toda a minha capacidade de me controlar, de entender, de pensar foi ultrapassada por sentimentos, dúvidas e inconsistências imaginárias.
No meio disto tudo, quem me conhece dizia-me “epa… isso nem parece teu…” e não era, não era eu… era tudo o que eu não compreendia que me controlava.

Amei demais, até me sentir cortar por esse amor. Até sentir que os meus ossos, o meu sangue, o meu respirar eram parte desse amor… e nesse amor, eu era eu mesmo. As proporções que tudo isto tomou é que fugiram do controlo de ambos, fomos amando e tornando o outro parte de nós e sem saber lidar com isso, matamo-nos.
Seguindo cada um o seu caminho. Crescendo cada um no seu rumo, mesmo que de formas paralelas, eis que chego a uma porta que me decidi a abrir. De novo o sentir, de novo o querer… não soube, não consegui, não me permiti ser.

E assim, voltamos à pergunta inicial, será que é possível gostar tanto de alguém que deixamos de ser nós mesmos? Não pelo facto de não conseguir estar sem a pessoa, ou de não ser sem a pessoa… mas sim pelo facto que quando se está com quem que nos provoca todos estes sentimentos, não conseguimos abrir a nossa porta, deixando que um estranho ser tome conta de nós e nos faça agir e reagir de forma incoerente com o que somos.

Queria conseguir ser, ao teu lado. Mas não consigo…
E a tua ausência… magoa-me.

dezembro 20, 2007

Meti o barco ao mar, para ficar a meio caminho.

FUCK ME SANTA!!!
FUCK ME!!




E nos dias mais banais
Uns assim, todos iguais.
Somos apenas nós,
Somos apenas sós.

Há amores assim

dezembro 12, 2007

Cineclube de Olhão

pessoal, atentem na iniciativa do CineClube de Olhão!






Carreguem na imagem

dezembro 11, 2007

.

Porque eu sou o hoje que o ontem fez.
Não vivo nele, vive ele em mim.

petites histoires

1.
E ela pegou-lhe na mão. Levou-o suavemente para a beira do mar e sentou-o. A roupa deixou-se molhar pela espuma da imensidão e os pés, quentes, gelaram. Que estranha sensação esta, de corpo frio e peito quente. Que estranha forma de sentir, agora que não se sente.

2.
A máquina disparava de forma quase insana. A vontade de guardar aqueles momentos, de os registar tomavam conta dele. Ela continuava, com o corpo, o sorriso, as formas. Tudo nela parecia dizer para a seguir, para a adorar. E ele fê-lo. Sentiu o seu ser aproximar-se, sem que o corpo se movimentasse. As duas almas mutaram-se, entrelaçaram-se, amaram-se sem se tocar, sem que a pele de um sentisse o sabor da do outro e numa espiral metafísica nasceu o respirar de um dragão, quente e flamejante luxúria.

3.
“Que jeitoso estás, assim de fato…” e ele sorri, semi-envergonhado, permitindo-se despojar do controlo sobre os sentimentos. E ela segura-o de forma vigorosa e puxa-o para si, beija-o devagar e apenas com a ponta dos lábios, a ponta da língua tenta furar, saborear, dar a sentir a vontade de que ele seja seu.
E assim o fato dá lugar ao negro vestir, e os botões de punho substituídos por correias de cabedal que o puxam contra a parede, que o impedem de respirar. Ofegante sente-a seguir o seu peito com a ponta dos dedos. Olha-a nos olhos, que bonita é... a boca tapada, o corpo despido de desnecessária roupa, os sapatos altos de verniz e a tanga fina, preta.
O corpo estremece, tenta tocar-lhe, mas ela foge, goza com o poder que tem sobre ele. O gozo é mútuo…

outubro 19, 2007

eu não sou todos os outros

vagueei e perdi-me...
perdi-me algures no meu passado,
que cantei,
muitas vezes, fruto do imaginado.

De italiano nada tenho,
mas com o filme me comparo...
Completo idiota, andava feito actor
Novamente fingindo,
uma vida com fervor!

Dei por mim a olhar para ti,
encontrando-te nos meus desencontros.
Principesa que sorriu, pim* que se tornou.

Abri a porta a medo, serias tu que ali estavas?
eram os teus olhos rasgados, lindos e por mim amados.
sorri contigo, e sem ti chorei, no medo de te perder.
Já tinha a porta aberta...
Agora? Nada a fazer...

Tenho-te em mim,
quero-te, sem dor...
mas por fim, desilusão em ti criei,
por isso agora choro... meu amor.


outubro 18, 2007

pensamoentos

Como podes conhecer-me,
Se não falo…
Como podes querer,
Se eu calo!
Pego em ti,
Levo-te ao que conheço
Deixo que fale por mim!
Te mostre o que escondo…faça o meu preço.

Não sei porque o faço
Ou se faço por querer…
Sei que te quero
Como quem quer viver!

Qual Imperador, deixei-me levar.
P’los teus olhos rasgados, teu sorriso de luar…
P’las mãos suaves que me acarinham.


Os beijos sonolentos... e o abraço que me acalma…
És Tu, que me trazes de volta a alma.

outubro 16, 2007

u put the D on my Day...

this the way i love you *


Flaws And All - Beyonce
Colocado por vindiezel


I'm a train wreck in the morning
I'm a bitch in the afternoon
Every now and then without warning
I can be really mean towards you
I'm a puzzle yes indeed
Ever-complex in every way
And all the pieces aren't even in the box
And yet, you see the picture clear as day

I don't know why you love me
And that's why I love you
You catch me when I fall
Accept me flaws and all
And that's why I love you
And that's why I love you
And that's why I love (hmm)

I neglect you when I'm working (ha ha ha uhn)
When I need attention
I tend to nag (oh oh ha uhn)
I'm a host of imperfection (ha ha ha uhn)
And you see past all that (hm hm uhn uhhhh uhn)
I'm a peasant by some standards (ha ha ha ha uhn)
But in your eyes I'm a queen (oh oh ha uhn)
You see potential in all my flaws (ha ha ha uh uh)
And that's exactly what I need

I don't know why you love me
And that's why I love you

You catch me when I fall
Accept me flaws and all
And that's why I love you
And that's why I love you
And that's why I love you (ah)


ha ha haa ha ha uhn! ha ha haa ha ha uhn
ha ha haa ha ha uhn! ha ha haa ha ha uhn

Don't know why you loooove me
[ha ha haa ha ha uhn ;ha ha haa ha ha uhn]
And that's why I looove you
[ha ha haa ha ha uhn ha uhn! ha ha ha ha uhn]
You catch me when I fall
[ha ha haa ha ha uhn!]
Accept me flaws and all
[ha ha haa ha ha uhn]
And that's why I looove you
[ha ha haa ha ha uhn, ha ha haa ha ha uhn]
And that's why I looove you
[ha ha haa ha ha uhn! ha ha haa ha ha uhn]
And that's why I looove you
[ha ha haa ha ha uhn! ha ha haa ha ha uhn]
You,You, you, oh, you, you
[ha ha haa ha ha uhn]
You, you, you
[ha haa ha ha uhn]
You, no, you
[haa ha ha uhn]
You, you
[haa ha ha uhn]
You, you.

outubro 09, 2007



Caem como folhas
Lágrimas no seu rosto
Suavemente descem
Deixam-lhe o desgosto

Entre dois suspiros
Sopro-lhe na face sem favor
Abre-se a janela
Tenta um disfarce

Aperta-me a mão
Ri por um instante
Deixo-me ficar
Deixo-me ficar

Nunca quis saber nunca quis acreditar
Que tu irias partir não podias cá ficar
nunca quis escutar muito menos quis ouvir
O teu silêncio que avisava a intenção de não voltar
Podes crer
Bem que me disseram para nunca me agarrar a uma pessoa a um lugar
Podes crer
Se um homem nunca chora para que servem estes olhos se não podem
mais te ver
Queria ver queria saber
O que fazias tu que estás aqui a observar
Tás a ver tás a perceber
Pode ser que um dia a gente volte a se encontrar
Agora embora, agora sem demora
Deixa-me ficar aqui sozinho p’ra pensar
Embora agora que a minha alma chora
Como disse alguém
Vou-me perder para me encontrar

Esse choro triste
Desespero seu
P’ra tentar dizer
Nada se perdeu

Pede-me que fique mais
Por um segundo eterno
Como se quisesse ter
O meu beijo terno

Aperta-me a mão
Ri por um instante
Deixo-me ficar
Só por esse instante

Dois Lados do Mesmo Adeus - Donna Maria

outubro 06, 2007

feeling blue

just like a bird without a feather
you know im lost without your love
just like a bird without a feather
you know im lost without your love

you know i need your loving
just like the angels need heaven above
well, i done shot that woman
shot her 'cause she done me wrong

yeah, i love that woman
says she ain't love no one but me
yeah, but i caught that woman cheatin'
now our home ain't where it used to be.


from the movie Black Snake Moan

agosto 13, 2007









já não sei sorrir... a felicidade tenta encontrar-me, assumo que de todas as vezes que fugi o fiz porque não suportava a ideia do risco, o medo tomava-me de rompante e eu, fraco, não conseguia ficar.


Decidi tentar, arriscar pode não ser assim tão mau, pensei. Nem todas são assim, nem todas as pessoas me querem magoar...ou o vão fazer sem pensar em mais nada que não seja o seu bem-estar. Dizendo isto parece que as pessoas de quem fugi o queriam fazer. Não é verdade... a minha mente e mais que tudo, o meu peito dilacerado, que ao menor bater do novo coração que se começa a criar, grita de dor, habituado ao vazio não consegue suportar o movimento ora calmo ora alucinante do sorriso, da paixão, da vontade.


Magoo-me mais a mim que aos outros, posso eu pensar, até aqui chego a ser egoista... sei lá eu o quanto magoei as outras pessoas, o quanto lhes custou o meu virar de costas... mas virei-me tantas vezes porque não queria que me vissem chorar, e tantas outras não me voltei de novo para elas porque as lágrimas salgam a ferida e dói ainda mais.


Decidi não pensar, deixar ir é capaz de saber bem, outra vez. Se já foste feliz, porque não o podes ser de novo? A resposta é tão simples que me chega a fazer ela mesma rir desenfreadamente. Quando um não quer, dois não dançam. E eu já quis tanto, e há tanto que não danço.


Torno-me noutro, faço-me diferente, mascaro-me do que não quero ser e do que não suporto nas outras pessoas. É mais fácil assim, se ficar a ver os outros dançar é mesmo porque eu não o sei fazer. Mas quero tanto, quero tanto agora, já. Porque faço eu o contrário? Não sempre, mas por vezes. Por vezes quando o sorriso aparece e o peito outrora cheio, que se habituou a ser só, começa a abrir, a ferida sangra, o medo aparece, a dor acutilante faz-me tremer, a vontade sobe e fortalece o que a alma não consegue acompanhar, o sentimento.





Sinto falta de sentir.

julho 24, 2007

Devotchka - You Love Me


Under the mother eyes of the Mexican sky
She was happy and it shows in the sun
And it was fate laid in stone
Sacred heart, sacred ground
Her two children and we moved as one

And you said you loved me
You said you loved me

Now there’s something missing
when you’re kissing me
It’s subtle yet it’s gone
And then I’m suspicious
And then it gets vicious
And then it’s a hole right through the heart

And you said you loved me
I thought you loved me

Now there is an ocean of time
Between your life and mine
You look happy and you’re married again
And oh my Lord how you’ve grown
To find me still alone
I am humble
I’m still trying to forget

When you said you loved me
I thought you loved me

julho 23, 2007





O que procuramos nós?


Andamos pela vida como se fossemos a descer uma rua na baixa a ver as montras. Tentamos ter sempre ao nosso lado pessoas que nos façam sentir bem, por fora.
Descemos as avenidas iluminadas e esquecemos as ruelas cheias de vida e personalidade.
Observo as pessoas e pergunto-me o que aconteceu para que perdêssemos a capacidade de sermos nós mesmos, de olhar ao espelho e pensar que gostamos de nós desta ou daquela forma sem que haja mais um milhão de pessoas a pensar o mesmo.
Porque procuramos nós, pessoas que sejam iguais a tantas outras?
Não se trocam palavras, trocam-se olhares.
Não se promovem abraços, procuram-se beijos.
Não se sente, vive-se.
Mas será a vida apenas o passar dos dias? O contar do tempo sem que se retenha dele sorrisos e memórias que nos tragam no dia seguinte mais do que apenas o sentimento de mais um?

junho 11, 2007

Não quero falar com ninguém

Não quero falar com ninguém. Não atendo o telemóvel, não respondo a mensagens.
Desculpem-me, que são poucos os que comigo se preocupam, mas não estou capaz de ouvir as mesmas palavras de sempre.
Eu sei que são bons conselhos, mas que querem que eu faça?
Saber que estou errada não altera, em nada, os meus dias, nem seca as minhas lágrimas.
Saber que não encontro em mim as forças suficientes para agir, ou não agir, ou, simplesmente, aprender a gostar de mim mesma e, portanto, ser capaz de dizer não, tudo isto me seca o ânimo, me devora a claridade, come-me o bater do coração e só reconheço a tristeza e esta sensação pungente de injustiça, uma injustiça que, de tão pesada, me tolhe todas as horas dos dias e todos os dias que estão para vir.
O amor não é cego. Qualquer tipo de amor, por muito que o digam os poetas, não, não é cego, nem surdo e, por isso mesmo, damos a quem amamos o poder de nos magoar.
Uma, e uma, e outra vez.
Às vezes, quando ando na rua e olho quem passa, tento descobrir-lhes a vida. Dou comigo a inventar histórias de amores eternos, paixões proibidas, solidões profundas, enfim, vou inventando um mundo no caminho para o trabalho, do trabalho para casa.
O Silêncio, cada dia, me cobre mais, como se fosse uma segunda pele.
Desculpem não atender o telefone, a vocês, que são os únicos que se preocupam comigo.
Desculpem, mas hoje vou fingir que vivo a vida dos outros e, assim, não terei de olhar para a minha.

by Luísa Castel-Branco in Destak

junho 08, 2007



Michael Buble – Everything lyrics

You're a falling star, You're the get away car.
You're the line in the sand when I go too far.
You're the swimming pool, on an August day.
And you're the perfect thing to say.

And you play you're coy, but it's kinda cute.
Ah, When you smile at me you know exactly what you do.
Baby don't pretend, that you don't know it's true.
Cause you can see it when I look at you.

And in this crazy life, and through these crazy times
It's you, it's you, You make me sing.
You're every line, you're every word, you're everything.

You're a carousel, you're a wishing well,
And you light me up, when you ring my bell.
You're a mystery, you're from outer space,
You're every minute of my everyday.

And I can't believe, that I'm your man,
And I get to kiss you baby just because I can.
Whatever comes our way, ah we'll see it through,
And you know that's what our love can do.

And in this crazy life, and through these crazy times
It's you, it's you, You make me sing
You're every line, you're every word, you're everything.

So, La, La, La, La, La, La, La
So, La, La, La, La, La, La, La

And in this crazy life, and through these crazy times
It's you, it's you, You make me sing.
You're every line, you're every word, you're everything.
You're every song, and I sing along.
'Cause you're my everything.
Yeah, yeah

So, La, La, La, La, La, La, La
So, La, La, La, La, La, La, La, La, La, La, La

maio 19, 2007

as palavras não têm fluido dos meus dedos tanto quanto eu queria... tanto quanto me faria bem...
trago-vos uma música que me agradou...






Found myself just the other day
In the backyard of a friends place,
Thinkin' about you,
Thinkin' of the crowd you're in,
What you up too where you been?
(Just thinkin')

And all the clothes that you wear,
And the colors in your hair
Shouldn't change you
Now you tell me why it's so
You bigger than mighty Joe,
(At lest you think so)

God my fingers burn,
Now when I think of touching your hair
You have changed so much that I don't know,
If I can call you and tell you I care
And I would love to bring you down,
Plant your feet back on the ground

Throw my smoke down on the ground,
Turn my head and I heard the sound,
(That reminded me)
Of the days so young and sweet
Always so much fun to meet
(At lest I thought so)

Now you think your so damn fine

You can rule the world no not mine,
I don't think so

God my fingers burn,
Now when I think of touching your hair
You have changed so much that I don't know,
If I can call you and tell you I care

Now the scene that you're in,
And the people that you been with
Just get to me,
But you think I'm not as cool,
As you are so beautiful
Well who you fooling?

Well I'm here to tell you babe
The game your in is just a game
So damn pretentious

God my fingers burn,
Now when I think of touching your hair
You have changed so much that I don't know,
If I can call you and tell you I care
And I would love to bring you down,
Plant your feet back on the ground

You think you're so beautiful
(So beautiful)

maio 18, 2007

maio 03, 2007

abril 27, 2007

Patrick Wolf-'The Libertine'

The motorway won't take a horse.
The wanderer has found a course to follow.
The traveller unpacked his bags for the last time.
The troubadour cut off his hand and now he wants mine,

(Oh, no )

Oh no, not me.

The circus girl fell off her horse, now shes paralysed.
The hitchiker was bound and gagged, raped on the roadside.
The libertine is locked in jail.
The pirate sunk and broke his sail.

But I still have to go,
I've got to go, so here I go,
I'm gonna run the risk of being free.

The magicians secrets all revealed.
And the preachers lies are all concealed.
And all our heroes lack any conviction.
They shout through the bars of cliche and addiction.

So I've got to go,
I've got to go, so here I go
I'm gonna run the risk of being free.

And in this drought of truth and invention, whooever shouts the loudest gets the most attention, so we pass the mic and they've got nothing to say except:

Bow down, bow down, bow down to your god.

Then we hit the floor, and make ourselves and idol to bow before.

Well I can't,
And I won't
Bow down,
Anymore...

No more.

abril 23, 2007

Amas alguém?

amei

muito

mais do que a mim

do que a vida

mais do que à família

que aos amigos

amei até me doerem os ossos



e fiquei com a dor.

março 29, 2007

Roubado à catawyna :)

fevereiro 24, 2007

morto pelas mesmas asas que ensinaram a voar

fevereiro 22, 2007

sou como sou...

pedes sempre algo que raramente tem contornos de real.
Como se eu conseguisse voltar a ser depois de ter sido.

Tudo é ao mesmo tempo que deixa de ser.
Quase como a chuva, que bate contra o vidro e escorre,
gota a gota, cada uma atrás da outra sem nunca ficarem ali,
quietas, suspensas no vidro apenas para serem minhas.

Janelas há muitas... gotas vêm e não ficam, escorrem
ou limpo-as eu, que quero ver lá para fora.
Não és gota nem janela, és a brisa que me faz tremer
quando as flores das amendoeiras trazem o teu cheiro
e a lembrança dos teus olhos que me mostram que existi.

E eu, sou como sou, um sorriso teu.

fevereiro 10, 2007

can i give up?

please....


janeiro 08, 2007

estou perdido dentro de mim
quieto!
não me vá eu perder mais

misstreated is not the word...
damaged is the feeling.

dezembro 20, 2006


Estranha forma de vida

Foi por vontade de Deus
que eu vivo nesta ansiedade.
Que todos os ais são meus,
Que é toda a minha saudade.
Foi por vontade de Deus.

Que estranha forma de vida
tem este meu coração:
vive de forma perdida;
Quem lhe daria o condão?
Que estranha forma de vida.

Coração independente,
coração que não comando:
vive perdido entre a gente,
teimosamente sangrando,
coração independente.

Eu não te acompanho mais:
para, deixa de bater.
Se não sabes aonde vais,
porque teimas em correr,
eu não te acompanho mais.

--------------------------------------------

Depois Disto...Desisto

Tantas coisas que já li
Outras tantas que vivi
Fazem de mim o que sou
Ai se eu tivesse esquecido
Tudo o que tenho vivido
E o coração decorou
Tudo é questão de memória
É o nosso pensamento
Que a vida nos vai passando
A memória faz história
Do que foi cada momento
Que nós vamos recordando
Isto da alma é segredo
Ninguém sabe desvendar
Os porquês de tudo isto
Sabemos que tarde ou cedo
Iremos a enterrar
E depois disto...desisto


novembro 05, 2006

The Gift - Facil de Entender

just you...

novembro 04, 2006

Muse - Starlight

Far away
The ship is taking me far away
Far away from the memories
Of the people who care if I live or die

Starlight
I will be chasing a starlight
Until the end of my life
I don't know if it's worth it anymore

And hold you in my arms
I just wanted to hold
You in my arms

My life
You electrify my life
Let's conspire to re-ignite
All the souls that would die just to feel alive

But I'll never let you go
If you promise not to fade away
Never fade away

Our hopes and expectations
Black holes and revelations
Our hopes and expectations
Black holes and revelations

Hold you in my arms
I just wanted to hold
You in my arms

Far away
The ship is taking me far away
Far away from the memories
Of the people who care if I live or die

And I'll never let you go
If you promise not to fade away
Never fade away

Our hopes and expectations
Black holes and revelations
Yeah
Our hopes and expectations
Black holes and revelations

Hold you in my arms
I just wanted to hold
You in my arms

I just wanted to hold

novembro 01, 2006

já fui feliz...
agora sou só eu, com todo o nada que isso traz.

outubro 31, 2006

today...
another day...
just here...


crying.

setembro 21, 2006

Eric Clapton - Tears In Heaven

i really miss you :,(

agosto 19, 2006

my...

as vezes qdo chego a casa
meio triste
quero-o
mas estou tão murcho que não faço por isso
então ele
que também não quer dar o braço a torcer
parece à porta do quarto
eu olho para ele
fico contente
espero que ele venha
ele vai...
volta...
eu chamo
ele olha...
salta p cima de mim
e ficamos assim caladinhos a amar-nos
 

julho 29, 2006

Mamanadisquejepeux

bom... se ela "oui" ele "tudo bem"

julho 14, 2006

SHE (Elvis Costello)

someone - ainda?
me - sim...
someone - e quando...?
me - não sei... talvez nunca
someone - oh.. não podes pensar assim
me - não penso... sinto.

junho 25, 2006

Roxy Music - All I Want is You

junho 01, 2006

Nitin Sawhney
Letting Go

Now I often talk of my heart
How can I turn to the dark
And the swaying silence
I see, there’s nothing I can hold on to
You can’t breathe if I hold you tight
You can’t breathe if I hold you tight

Don’t be afraid of letting go
Don’t be afraid of letting go

Not of anything out of anyone
All alone here with my demons
Am I ready to move on
To a person or place
Alone away from here
And I miss you
And I loose you
And I found you
I choose to follow my heart

Don’t be afraid of letting go
Don’t be afraid of letting go

Not of anything out of anyone
Out of anything out of anyone

Don’t be afraid of letting go

maio 31, 2006


i do not want to feel like this never more

abril 24, 2006

Estou sentado numa cadeira, frente a um mundo que não reconheço como meu. Olho e não percebo como posso eu ser feliz. Se é que isso existe ou alguma vez o irei alcançar. Dias há em que os sorrisos se seguem uns após outros, que os amigos se transformam em vida e ela nela mesma. Será isso a felicidade? E se eu for diferente? Se os sorrisos não chegarem, se os momentos não forem por si mesmos, se o mundo for pequeno demais e ao mesmo tempo impercorrível? Tenho muito, sou tanto mais, quero algo que já tive, menos não chega, metade seria mais do que tive depois, o todo não existe. O tempo levou-me e trouxe-me por outro lado, por um caminho que eu conhecia mas nunca tinha pisado. Talvez tenha ouvido falar nele, num qualquer sonho que se pensa não existir quando se vive de sonhos. Quando com ele curzamos, sentimos aquele frio no corpo, que nos aquece e faz virar o mundo do avesso, para o vermos a direito. Ver de olhos vendados pelo que queremos e não pelo que temos. O que eu quero não tenho porque não quero.

abril 23, 2006

And it came to me then that every plan
is a tiny prayer to father time
As I stared at my shoes in the ICU
that reeked of piss and 409
And I rationed my breathes
as I said to myself
that I'd already taken too much today
As each descending peak
on the LCD
took you a little farther away from me

Away from me...

Amongst the vending machines and year-old magazines
in a place where we only say goodbye
It stung like a violent wind
that out memories depend
on a faulty camera in our minds
But I knew that you were a truth
I would rather lose
than to have never lain beside at all
And I looked around at all the eyes on the ground
as the TV entertained itself

'Cause there's no comfort in the waiting room
Just nervous pacers bracing for bad news
And then the nurse comes round
and everyone will lift their heads
But I'm thinking of what Sarah said
that "Love is watching someone die"


So who's going to watch you die?..


DEATH CAB FOR CUTIE - "What Sarah Said"

abril 18, 2006

I'm really close tonight
I feel like I've been moving inside her
I´m laying in the dark
I think that I'm beginning to know her
Let it go
I'll be there when you call

Yeah whenever I fall at your feet
And let your tears rain down on me
Whenever I touch your slow turning pain

You're hiding from me now
There's something in the way that you're talking
The words don't sound right
But I hear them all moving inside you, go
I'll be waiting when you call

And Yeah whenever I fall at your feet
You let your tears rain down on me
Whenever I touch your slow turning pain

The finger of blame has turned upon itself
And I'm more than willing to offer myself
Do you want my presence or need my help
Who knows where that might lead
I fall, I fall

Whenever I fall
Whenever I fall
Whenever I fall
Whenever I fall

abril 16, 2006

dreaming

sentado no pequeno sofá em frente à cama, enrolado no emaranhado de almofadas que teimava em ter como suporte ao corpo cansado dos dias, escrevia. As luzes dos candeeiros novos ecoavam suavemente em tons quentes pelo quarto, reflectindo-se nas diferentes cores que o circundavam. A janela semi-aberta era por sua vez o reflexo do seu espirito, que de novo se começava a levantar, como a fénix das cinzas, do seu leito de escuridão e tentava abraçar a vida, o recomeço.
continuava a morar na mesma casa de há anos, embora repleta de novidades era fundamentada no seu mais interior espaço pelo passado que a tinha sonhado e criado. Esta decisão tinha sido esculpida pela necessidade de se manter ali, embora fosse tempo de lutar contra a estagnação a que se votou também o era de aceitar os seus pensamentos como verdades e sobre eles fazer juízos. Sorriu ao conseguir escolher as palavras certas para o que queria demonstrar, imaginando como seria quando o lessem, sabendo a cada letra, a cada compasso, o que pretendia.

Fecha os olhos e sente o suave aroma do chá maçã-canela - "Há coisas que nunca mudam"- pensa em voz alta, e o som da sua própria voz trá-lo à realidade, na qual se queria embalado pela companhia de doces palavras e ternos olhos.

abril 03, 2006

Pasolini is me
'Accattone' you'll be
I entered nothing and nothing entered me
'Til you came with the key
And you did your best but

As I live and breathe
You have killed me
You have killed me
Yes I walk around somehow
But you have killed me
You have killed me

Piazza Cavour, what's my life for?

Visconti is me
Magnani you'll never be
I entered nothing and nothing entered me
'Til you came with the key
And you did your best but

As I live and breathe
You have killed me
You have killed me
Yes, I walk around somehow
But you have killed me
You have killed me

Who am I that I come to be here...?

As I live and breathe
You have killed me
You have killed me
Yes I walk around somehow
But you have killed me
You have killed me

And there is no point saying this again
There is no point saying this again
But I forgive you, I forgive you
Oh yes I do forgive you.


Morrissey - you have killed me

março 24, 2006

pedaços

Adiamos tudo, até que a morte chegue.
Adiamos tudo e o entendimento de tudo,
Com um cansaço antecipado de tudo,
Com uma saudade prognóstica e vazia.

excerto de O Mesmo - Álvaro de Campos

março 23, 2006


simplesmente um dos melhores filmes que vejo desde há muito. Definitivamente uma entrada directa para o top5!!
Excelente banda sonora, a voz deliciosa do nosso tão bem conhecido Mr. Smith, um casting bem conseguido e uma história que, ao invés de mais um blockbuster hollywoodesco, criou um excelente filme!!

Ideas are bulletproof!
Às vezes, em dias de luz perfeita e exata,
Em que as cousas têm toda a realidade que podem ter,
Pergunto a mim próprio devagar
Por que sequer atribuo eu
Beleza às cousas.

Uma flor acaso tem beleza?
Tem beleza acaso um fruto?
Não: têm cor e forma
E existência apenas.
A beleza é o nome de qualquer cousa que não existe
Que eu dou às cousas em troca do agrado que me dão.
Não significa nada.
Então por que digo eu das cousas: são belas?

Sim, mesmo a mim, que vivo só de viver,
Invisíveis, vêm ter comigo as mentiras dos homens
Perante as cousas,
Perante as cousas que simplesmente existem.

Que difícil ser próprio e não ver senão o visível!


Alberto Caeiro - Às vezes

março 22, 2006

kitty

levanto-me, numa tentativa de mais uma vez fugir do inevitável, de ti. Chego ao destino, aqueço o leite e sinto as pernas a tremer, hoje é hoje e por muito que fuja continuará a ser sempre dia 21. Um leve ronronar faz-me sorrir, lembro-me de como ele gostava de roer as sandálias consumidas pelos anos e pela vontade de sempre as usares.
De volta não resisto, preciso de ti, sempre precisei, mais ou menos lúcido, sei-o como sei que preciso de respirar. Ofuscas quem me procura assim como o sol coloca a lua em segudo plano. Estrela que brilha e alimenta, mesmo estando distante.

O ronronar volta, ele parece contente com o que faço. Senta-se em cima do monitor e olha-me de soslaio enquanto passa a lingua pela pata.

Procuro de alguma forma abrir-me de novo para o mundo, sorri. Dei por mim a cantarolar na escola hoje, sempre de sorriso na cara e pensei «voltaste...» continuo pelos corredores fora, que há tanto ocupam parte dos meus dias e os quais estou decidido a tornar na porta do futuro, que se quer mais leve. Decisões tomadas, alegria de viver, de ter renascido... pois quando a dor se tornava fisica, a morte era ali, aquele instante.

E o que fica no depois? Quantas vezes fiz esta pergunta envolto em lágrimas e dor. Raiva incontrolável apenas quebrada pelas memórias... mas tudo passa, tudo muda. Hoje the little kitten ainda se chama kika, mas tem as patinhas brancas e os olhos claros. É mimada e não tão curiosa como a que gostava de se deitar na tua barriga. Mas é linda e lembra-me de ti. Também eu choro quando penso naquela pequena menina deitada na minha, outrora, prinçusa.

Começo numa alegria que me consome... não consigo pensar... escrevo...vejo-te...sinto-te... assumo que queria levar este texto sem objectividade, deixar no ar ideias e vontades, subtilmente respirar o que sinto... mas a vontade já deixou de ser racional a partir do momento em que procurei por Ti, hoje. Quanto mais agora, inebriado pela sede de te tomar no meu abraço. Estendo a mão... é inevitável... quero tocar-te mesmo sabendo que não estás...

Apetece-me contar-te de mim, saber de ti, ser o que for, quando for, como for... mas será que o que quero é o que preciso? Baixei as defesas há muito, talvez depois de me sentir bem comigo mesmo. Agora que para além disso consigo ver o horizonte, continuo a querer-te. Apenas não sei como.

Estou a escrever há horas... as ideias não são racionalizadas, são pintadas aqui em palavras. Leio-me e acho que conseguiria muito melhor, sintacticamente falando... mas o que eu quero é deitar para fora... purgar-me de algo, nem sei bem o quê! Mania de colocar as coisas de forma pessoal! O que eu queria era colocar-me fora de mim mesmo e ver-me, analisar-me ao mais infimo detalhe. Saber-me!! Se me soubesse saberia como te quero... se te quero!

Malditas muralhas que outrora foram quebradas e agora reconstruidas mil vezes mais fortes. Tanto para impedir a entrada de alguém... como a saida do que restava de Ti.

E de novo personalizo, dizem-me para não o fazer... mas como não!? Eu sou eu... não posso fugir de mim mesmo, tenho de me aceitar a mim e ao que quero! Demência ocasional esta das últimas horas... mas boa! Fez-me abrir de novo as portas enquanto estavas de costas e olhar-te, sorridente. Sorri pelo teu sorriso, o Teu.

Se o arrependimento fosse um pequeno corte de papel há muito que tinha socumbido à dor de tantos... disse muito, que não devia. Infantilidades, arrogâncias, cobrei, apontei... estúpido miúdo que viu a felicidade a fugir e teve medo, de ficar só.

Estava a ver hoje um episódio de Dr. House... desde os últimos tempos é a série de eleição, revejo-me naquele médico arrogante e magoado com a vida, sem pingo de interesse por alguém. Mas que neste episódio revê a ex-mulher e o mundo vira do avesso. Ela sabe como falar com ele, sabe como o controlar e direccionar. Tão bem me lembras tu... a determinada cena o diálogo torna-se o reflexo de um sonho muitas vezes tido "I'm not over you" diz-lhe ela... assim me dizem os outros, "o que tu queres é que ela volte" ... será? Continuo a procurar alguém como tu, não sei se te procuro a Ti.

Só sei que te quero.


E agora... quero-a a ela... demais... tenho medo.

março 13, 2006

um sorriso
embrulhado em lágrimas
uma dor
que já não dói
apenas
corrói.

fevereiro 21, 2006

desafio... (com lag)

Quais são as cinco coisas mais irritantes acerca de ti?

1- Impulsivo cedo amiúde às vontades do momento...

2- Overprotective para com aqueles de quem gosto...

3- Teimoso

4- irresponsável esta é a pensar no Mauro e no seu "tens de começar a andar de carro mais devagar!!"

5- sonhador por vezes penso que vou ficar para sempre um menino pequenino


o desafio vai para o Mauro, a Inês (responde com acentos!!!)

:)

fevereiro 20, 2006

differences...

A porta abre, sempre ao mesmo ritmo, esta tem menos dificuldade em fazê-lo que a chave em rodar a combinação que me permite entrar naquele pedaço de mundo que é a minha casa.
Procuro os seus olhos, mas como no dia anterior, relembro-me de que ela já cá não está, decidiu-se a ir, em busca do seu eu, da sua forma de viver. Eu decidi ficar, talvez tempo demais, num passado que teimo em deixar presente em tudo o que faço. Continuo a procurar os seus olhos em todos os outros, assumo, uma loucura, uma insanidade, que até a mim que tenho todas as explicações do mundo e arredores para a manter viva, me começa a incomodar e a tomar contornos de loucura inabalável.

Este é o primeiro dia do resto da minha vida, vamos ver se ele é igual ao ontem.

fevereiro 05, 2006

levitando




quero ser livre e esguio quero ser teu e meu, toque e arrepio! ser névoa e envolver ao ritmo do teu amar ser véu que cobre, sem nunca tapar.


ao som de DJ Cheb i Sabbah-Solace Saptak, The Samaya Mix

janeiro 31, 2006

feelings



Fiz de mim o que não soube
E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pegada à cara.

janeiro 30, 2006

you...over and over

Sentado naquele sofá, copo colocado na mesa baixa, ao estilo japonês, escreve poucas palavras, na contracapa de um livro que se mantem ali, há semanas, sem que tenha coragem de lhe pegar e ler os desejos de outros.

"tenho tantas saudades tuas... não consigo colocar por palavras o que sinto dia após dia... noite após noite... sempre tu...nas conversas, nos sorrisos dos outros, nas trocas de olhares, ao fazer amor com outras pessoas... tu, sempre tu... não te consigo esquecer. Assumo que por vezes não quero, que preciso de ficar contigo, mais que não seja na minha memória e vontade. Outras vezes há em que não suporto a ideia de ti, magoa-me a tua existência... é nesses minutos que eu me sinto cmpletamente perdido, sem rumo e vontade de existir...tu, sempre tu, continuas a ser o meu farol. Continuas a ser a força que me dá vida... mesmo indirectamente. Culpa minha, que não suporto a ideia de te ver beijar outra pessoa... que saudade eu tenho dos teus beijos, dos teus lábios, das tuas mãos... de Ti... que saudades... as lágrimas caem, sempre que penso em ti, sempre que sinto o mundo a esvair-se em mim como se areia fosse... abro a mão, deixo a vida escorrer por entre os dedos que perderam a força e vontade de se manterem unidos. Estão hoje inertes, mortos de sentimentos e sentidos. Hoje sou um muro com uma única e minuscula porta, que só tu conheces pequena Sininho sabes e consegues entrar."

a noite continua, assim como Lúcio, esperando o dia, mais um... ou será, menos um?

janeiro 20, 2006

Amo-te Andreia.

hoje apetecia-me ser poeta
sentir o mundo de uma forma só minha

acabo apenas por te sentir a ti
tu, que já não te sentes sozinha.

a ti, a quem eu ainda amo
de formas que eu nem sei explicar

a mim, a quem já não lembras
em momento algum te faço suspirar

fujo por medo, pelo medo de não sentir
pelo medo de não conseguir
o mundo alcançar.

o mundo és tu,
serás tu para todo o sempre.

deixo-me ficar nesta certeza,
a unica que tenho.

eu sou assim, pequeno e estranho.

janeiro 16, 2006

Goodbye My Lover - James Blunt

Did I disappoint you or let you down?
Should I be feeling guilty or let the judges frown?
'Cause I saw the end before we'd begun,
Yes I saw you were blinded and I knew I had won.
So I took what's mine by eternal right.
Took your soul out into the night.
It may be over but it won't stop there,
I am here for you if you'd only care.
You touched my heart you touched my soul.
You changed my life and all my goals.
And love is blind and that I knew when,
My heart was blinded by you.
I've kissed your lips and held your head.
Shared your dreams and shared your bed.
I know you well, I know your smell.
I've been addicted to you.

Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

I am a dreamer but when I wake,
You can't break my spirit - it's my dreams you take.
And as you move on, remember me,
Remember us and all we used to be
I've seen you cry, I've seen you smile.
I've watched you sleeping for a while.
I'd be the father of your child.
I'd spend a lifetime with you.
I know your fears and you know mine.
We've had our doubts but now we're fine,
And I love you, I swear that's true.
I cannot live without you.

Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

And I still hold your hand in mine.
In mine when I'm asleep.
And I will bare my soul in time,
When I'm kneeling at your feet.
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.
I'm so hollow, baby, I'm so hollow.
I'm so, I'm so, I'm so hollow.

janeiro 11, 2006

gosto... pois gosto...

gosto de ti
gosto de andar à chuva
gosto de swings de fogo
gosto do ar da praia num dia de inverno
gosto do por do sol
gosto de gelado de morango
gosto da lareira acesa
gosto do frio na cara de manha
gosto do calor do meu gato no colo
gosto de ti

gosto... pois gosto...
hoje sonhei-te... como ontem e anteontem e no mês anterior... será que amnhã também?

still ... stupidly in love


Lately I've been wishing I had one desire
something that would make me never want another
something that would make it so that nothing matters
all would be clear then

but I guess i'll have to settle for a few brief moments
and watch it all dissolve into a single second
try to write it down into a perfect sonnet
or one foolish line

'cause that's all that you'll get so you'll have to accept
you are here then you're gone
but i believe that lovers should be tied together
thrown into the ocean in the worst of weather
left there to drown
left there to drown
in their innocence

but as for me i'm coming to the final chapter
i read all of the pages and there's still no answer
only all that was before i know must soon come after
that's the only way it can be

so I stand in the sun
and I breathe with my lungs
trying to spare me the weight of the truth
saying everything you've ever seen was just a mirror
spent your whole life sweating in an endless fever
now you're laying in a bathtub full of freezing water
wishing you were a ghost

but once you knew a girl and you named her lover
danced with her in kitchens through the greenest summer
autumn came, she disappeared
you can't remember where she said she was going to

but you know that she is gone 'cause she left you a song
that you don't want to sing
singing I believe that lovers should be chained together
thrown into a fire with their songs and letters
left there to burn
left there to burn
in their arrogance
but as for me i'm coming to my final failure
killed myself with changes trying to make things better
ended up becoming something other than what I had planned to be

now i believe that lovers should be draped in flowers
and layed entwined together on a bed of clover
left there to sleep
left there to dream of their happiness

A Perfect Sonnet - Bright Eyes

dezembro 12, 2005

semelhanças

CANCIONES

No tardes, Muerte, que muero;
ven, porque viva contigo;
quiéreme, pues que te quiero,
que con tu venida espero
no tener guerra conmigo.

Remedio de alegre vida
no lo hay por ningún medio,
porque mi grave herida
es de tal parte venida
qu'eres tú sola remedio.

Ven aquí, pues, ya, que muero;
búscame, pues que te sigo;
quiéreme, pues que te quiero,
e con tu venida espero
no tener vida conmigo.


Jorge Manrique

dezembro 09, 2005

sementes

a noite caiu há muito mas eu não durmo. Como em todas as outras noites, não durmo. Fico aqui, frente ao nada em que a minha vida se tornou até o cansaço ser insuportável e aí sim, o sono chega. Durmo, agitado, leve, nunca tive o sono leve, até que me vi sem ti. Agora não tenho razão para dormir, nem para acordar, não vejo o que posso alcançar. Eras como que o simbolo de que eu podia realizar grandes coisas, se te tinha conquistado a ti, nada era impossível.
Sinto a vida a sair de mim, a cada dia que passa, a cada letra que escrevo, a vida que eu tinha vai-se desvanecendo devagar. Vou ao poucos perdendo aqueles que eram importantes para mim, também porque nada faço para que fiquem a meu lado. Apenas discuto e não controlo a raiva que tenho de tudo e de todos, que tu tão bem sabias domar, com a doce voz e o olhar candido de quem me amava... como custa dizer que me amaste... que esse sentimento há muito de abandonou. O meu coração é ainda teu, temo que será para sempre, não o sinto bater desde que foste e penso que talvez te tenha mesmo entregue esse pedaço de mim. Sei-o agora, sonhei contigo, assim como o amor que sentiria por ti, que sinto. Não deites também esse pedaço de mim fora, espera que eu um dia tenha forças para o pedir de volta. Se esse dia não chegar, se eu perecer antes de conseguir olhar para ti sem te amar, guarda-o com aquela fotografia que eu tanto gostava, aquela que tiraste na porta da sala, com os cabelos compridos e a camisa preta, e na caixa escreve:

"aqui jaz o ultimo pedaço de quem me amará para toda a eternidade"

attack!! attack!!



e se o diabo
de mim se aproximar
de bem alto lhe digo
baza lá ó belzebu
já sofri demais
não me venhas também tu!

novembro 27, 2005

novembro 21, 2005

sorrisos

não acredites se me vires sorrir,
eles são apenas mentiras,
de todo o meu ser.

A única verdade em mim,
é a tristeza,
de não te ter.

novembro 13, 2005

pensamentos

pouco há mais bonito que o corpo de uma mulher. O toque da sua pele, o suave som da sua voz que se deixa levar pelos prazeres da lascivia que toma conta dos corpos e nos leva a querer um pouco mais a cada segundo. Ser um, ser em si mesmo e no outro. Mulher alguma é mais bonita que tu.

novembro 10, 2005

Image hosted by Photobucket.com

Ich liebe dich
Ich liebe dich nicht
Ich liebe dich nicht mehr
Ich liebe dich nicht mehr oder weniger als du
Als du mich geliebt hast
Als du mich noch geliebt hast

Die schönen Mädchen sind nicht schön
Die warmen Hände sind so kalt
Alle Uhren bleiben stehen
Lachen ist nicht mehr gesund und bald

Such ich dich hinter dem Licht
Wo bist du
So allein will ich nicht sein
Wo bist du

Die schönen Mädchen sind nicht schön
Die warmen Hände sind so kalt
Alle Uhren bleiben stehen
Lachen ist nicht mehr gesund, und bald

Ich suche dich hinter dem Licht
Wo bist du
So allein will ich nicht sein
Wo bist du
Ich such dich unter jedem Stein
Wo bist du
Ich schlaf mit einem Messer ein

Wo bist du

Rammstein - Wo Bist Du

novembro 03, 2005

me... today...


was there a yesterday?

How can happiness feel so wrong?
How can misery feel so sweet?

novembro 01, 2005

mais um

é... mais um... este nem por isso melhor... recebi contudo uma prenda curiosa :) uma foto minha foi publicada num artigo.

Fica aqui o link
http://www.familylifeabroad.com/Addiction.html

passem o rato por cima da imagem =)

mais um ano

There are nine million bicycles in Beijing
That's a fact
It's a thing we can't deny
Like the fact that I will love you till I die

We are twelve billion light years from the edge
That's a guess
No-one can ever say it's true
But I know that I will always be with you

I'm warmed by the fire of your love everyday
So don't call me a liar
Just believe everything that I say

There are six billion people in the world
More or less
And it makes me feel quite small
But you're the one I love the most of all

We're high on the wire
With the world in our sight
And I'll never tire
Of the love that you give me every night

There are nine million bicycles in Beijing
That's a fact
It's a thing we can't deny
Like the fact that I will love you till I die

And there are nine million bicycles in Beijing
And you know that I will love you till I die

outubro 27, 2005

fire...

Image hosted by Photobucket.com

I am the god of hell fire, and I bring you

Fire, I'll take you to burn
Fire, I'll take you to learn
I'll see you burn

You fought hard and you saved and earned
But all of it's going to burn
And your mind, your tiny mind
You know you've really been so blind
Now 's your time, burn your mind
You're falling far too far behind
Oh no, oh no, oh no, you're gonna burn

Fire, to destroy all you've done
Fire, to end all you've become
I'll feel you burn

You've been living like a little girl
In the middle of your little world
And your mind, your tiny mind
You know you've really been so blind
Now 's your time, burn your mind
You're falling far too far behind
OOhhh
Fire, I'll take you to burn
Fire, I'll take you to learn
You're gonna burn, you're gonna burn
You're gonna burn, burn, burn, burn, burn, burn, burn, burn, burn, burn, burn

Fire, I'll take you to burn
Fire, I'll take you to learn
Fire, I'll take you to bed

Arthur Bronw - Fire

outubro 25, 2005

assim...

Image hosted by Photobucket.com

é... sinto-me assim... preso entre nuvens que teimam em não passar.

outubro 21, 2005

Image hosted by Photobucket.com

sou apenas mais um, um daqueles por quem vocês passam e não sentem vontade de olhar uma segunda vez. Sempre me senti assim, não sei porque agora me custa tanto a sê-lo de novo... mas é aqui que reside a questão... no "de novo"... sim, porque eu já me senti a pessoa mais interessante do mundo, capaz de tudo... foi ela, que me fez sentir assim... a seu lado tudo era simples e descomplicado, a vida parecia ser algo que se podia de facto viver e não apenas sobreviver pelos cantos.

Tudo era irrelevante, todas as opiniões, como que colocado num alto local, protegido de quedas e pedras por aquela presença divinal... pelo seu sorriso imenso e os olhos... que olhos faiscantes e lindos que me levavam a sentir a pessoa mais sortuda de entre todas as pessoas...

sinto-me vazio de novo, os sorrisos que se seguiram deixam-me a cada beijo cada vez menos capaz de me sentir na minha vida. Queria sentar-me num qualquer local e vê-la passar, até chegar ao seu fim e eu, feliz, ali sentado cairia com um sorriso nos lábios.

Nem sei se sinto falta dela ou de quem dei o último beijo... tudo se torna confuso e complicado de perceber. Apetece-me gritar, partir coisas, enfurecer-me... mas não consigo... não quando penso nela... a simples ideia da sua existência deixa em mim uma alegria capaz de acalmar o mais negro de todos os meus demónios... a vontade de chorar volta... mas as lágrimas não correm... por vezes nem sei se o que vivi foi um sonho, de tão bom que foi, de tão forte que o senti...

dói, falar assim, no passado. Queria-o presente... e hoje, hoje é para todos só mais um dia... será que ela olha para o calendário e pensa este dia? Eu, continuo a esperá-lo, mesmo não querendo, todos os meses...

Tenho medo de a ver... tanto que me sinto a desfalecer só de pensar nisso... seria talvez a pior coisa que me podia acontecer... vê-la e não a "ter"... isso pode acontecer um qualquer dia destes... sei que vou fugir... sei que não vou conseguir olhar para ela e ficar indiferente... sei que ela não me vai beijar, não me vai abraçar como eu gostava.

Ela é feliz, isso devia bastar-me, de tanto a amar devia querer apenas o que fosse bom para ela, ao que parece nunca fui... porquê quere-la de volta? Como se fosse tudo assim tão linear, como a troca de uma lâmpada, troca para aqui, volta para além...

Sinto-me a pessoa mais feia do mundo, mesmo assim há coisas que me fazem sorrir. Uma das pessoas mais importantes para mim disse-me ontem "senti ciumes de tu e...", fiquei tão contente. Significa que ele está assim, a sentir... foi tão bonito vê-lo assim.

Pedi tantas vezes que me concedessem um desejo, para que eu pudesse pedir mais um dia com ela... ontem mudei essa vontade... quero um desejo sim, para pedir que todos aqueles que são importantes para mim não sofram mais, sejam felizes a partir desse instante, numa alegria constante e nirvana emocional. Talvez dois desejos, o segundo para me apagar das suas memórias e me permitir esfumar no ar, qual cinza da casca de uma castanha, que sacudimos pois o que queremos é o interior delicioso daquele fruto assado.

Agora sim, as lágrimas correm, quando penso em perdê-los, porque eu é que ia perder se num qualquer acaso a minha existência terminasse. Não me sinto minimamente relevante para sequer considerar que ia fazer verter uma lágrima... ontem pensei nisso, como seria que ela iria reagir se num qualquer acaso eu morresse e lhe dissessem, como seria que ela se ia sentir nesse momento, sabendo que eu não me tinha suicidado num qualquer ataque de desespero mas sim num acidente de carro ou de uma qualquer forma não voluntária, será que ia chorar? Ia ficar apenas triste? Ou será que ia fazer como quando me deixou...

Estou cansado de me dizerem "tens que ser feliz", "tens que seguir o teu caminho", "cuida de ti"... toda a noção de felicidade me soa a camisa de forças... me soa a prisão da vontade de ser dela de novo...

outubro 20, 2005

"nao consigo dormir"

as portas fecham-se quando tento entrar por elas... as portas de mim mesmo negam-me a entrada no meu ser, no meu eu que não se encontra, que dificulta a saida da magoa e evita a entrada dos sorrisos que teimam em me querer.

outubro 10, 2005

nights

Image hosted by Photobucket.com
a chave custa sempre a entrar... parece que a porta não o quer ali, à sua frente. Um passo em frente e o mundo desaba, é sempre assim, o entrar naquela casa que outrora lhe trouxe sorrisos e a sempre presente vontade de lá regressar, à companhia daquela que fora o seu único amor. Descalça os sapatos no hall de entrada e ali os deixa, para amanhã voltar a calçar, numa rotina que atinge por vezes o excesso de letargia. Volta-se e dirige-se à cozinha, talvez procurar algo que possa comer. Frigorifico vazio, os pequenos imans de todas as viagens que fizeram traz-lhe de novo uma lágrima à face, volta a abrir a porta cinza e retira do seu interior uma garrafa... a sua única companheira nos últimos dias. Tinha-se cansado dos encontros esporádicos, das famosas one night stand, das conquistas efémeras e de se sentir a cada dia nesse modo de vida cada vez mais vazio e frio em si mesmo. O sofá espera-o, para mais uma noite de filmes independentes e o ardor do líquido a passar pela garganta, queimando a ferida no interior do seu peito.

setembro 28, 2005

sentir

close your eyes
let me touch you now
let me give you something that is real
close the door
leave your fears behind
let me give you what you're giving me
you are the only thing
that makes me want to live at all
when i am with you
there's no reason to pretend
that when i am with you i feel flames again
just put me inside you
i would never ever leave
just put me inside you
i would never ever leave
you

quero sentir de novo, voar como sei que sou capaz. quero conseguir baixar esta barreira que me gela o coração. Mas não sou eu que tenho de querer... alguem que me roube um pensamento...

from us

you're made of my rib,oh baby
you're made of my sin
and i cant tell where your lust ends and where your love begins
i didn't want to hurt you baby
i didn't want to hurt you
i didn't want to hurt you but you're pretty when you cry
and the moon gives me permission and i enter through her eyes
she's losing her virginity and all her will to compromise
i didn't want to hurt you baby
i didn't want to hurt you
i didn't want to hurt you but you're pretty when you cry
i didn't want to fuck you baby
i didn't want to fuck you
i didn't want to fuck you but you're pretty when you're mine
i didn't really love you baby
i didn't really love you
i didn't really love you but i'm pretty when i lie
you hurt me baby
i hurt you baby
if you knew how much i love you, you would run away
but when i treat you bad it always makes you want to stay
i didn't want to hurt you baby
i didn't want to hurt you baby
how can you do this to me now?


VAST - Pretty When You Cry

setembro 27, 2005

porque amar não chega

here comes the rain again
falling from the stars
drenched in my pain again
becoming who we are

as my memory rests
but never forgets what I lost
wake me up when september ends

when september ends

"...mais do que ganhar sozinho é ajudar os outros a vencer, mesmo que isso signifique diminuir os nossos passos..."

talvez, em determinada altura, não devesse ter deixado de caminhar... são tantos os se's e os talves que já nem sei se o que fui é real...

setembro 18, 2005

me?

You scored as Dirty, Black, Free. Your face is Dirty, face stained from tears. You are free. You aren't afraid. You can cry and scream and yell. People care - People worry. You are free. Lucky. Free. You don't care what people think and you aren't afraid to do what you like if it makes you feel good.

Dirty, Black, Free

100%

Confused.

83%

In Control.

67%

Cold as Steel

50%

Believer.

50%

Trapped.

17%

What does your soul say about your eyes?
created with QuizFarm.com